UFMT abre concurso público para professor de Medicina

Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) realiza concurso público de provas e títulos para provimento de cargos na carreira do magistério superior. O edital saiu publicado na edição de hoje (29), do Diário Oficial da União (DOU). São seis vagas para a área de Medicina para os campi de Rondonópolis e Sinop.

As inscrições poderão ser feitas das 8 horas do dia 16 de dezembro até as 23h59 do dia 31 de dezembro, somente via internet, no endereço eletrônico www.ufmt.br. Será cobrada uma taxa de R$ 150,00. A isenção da taxa de inscrição será concedida ao candidato que estiver inscrito no cadastro único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), de que trata o Decreto n.º 6.135, de 26 de junho de 2007; e for membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto n.º 6.135, de 26 de junho de 2007. Os pedidos de taxa de isenção deverão ser feitos no período de 16 a 19 de dezembro. As inscrições confirmadas serão divulgadas no dia 13 de janeiro de 2014.

Os locais e horários das provas serão divulgados no dia 14 de janeiro de 2014. O concurso público será feito por meio de prova escrita, no dia 27 de janeiro de 2014, e prova didática, no dia 30 de janeiro de 2014. As provas escrita, didática e avaliação de títulos serão realizadas na cidade de Rondonópolis, no campus da UFMT, na Rodovia Rondonópolis-Guiratinga, km 06 (MT-270) – Bairro Sagrada Família (candidatos às vagas do campus de Rondonópolis); e na cidade de Sinop, no campus da UFMT, na Avenida Alexandre Ferronato, 1.200 – Bairro Setor Industrial (candidatos às vagas do campus de Sinop), em local a ser definido e divulgado no endereço eletrônico www.ufmt.br, conforme edital. O resultado final será divulgado no dia 5 de fevereiro de 2014.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (65) 3615 8316.

Confira a íntegra do edital.

MEC volta atrás e exige doutorado de professor de federal

Folha de S. Paulo

Após proibir universidades de cobrarem pós-graduação para seleção de docentes, ministério endurece regras.Contratação de pessoas sem esse título será aceita em regiões remotas ou em cursos com poucos doutores

 

O candidato a docente em universidades federais deverá ter título de doutor. Essa deverá ser a regra, sujeita a exceções, para entrada de novos professores nessas instituições de ensino.

A nova exigência altera lei, em vigor desde março, que trouxe dor de cabeça para as federais. Como a Folha revelou no mês passado, o MEC tinha dispensado a exigência de mestrado e doutorado, permitindo que docentes apenas com graduação pudessem disputar as vagas, mas depois recuou.

A partir de agora, a exigência mínima será o doutorado.

“Para não ser doutor, o órgão superior, o conselho universitário, tem que aprovar os casos excepcionais”, disse o ministro Aloizio Mercadante (Educação) em audiência no Congresso Nacional.

A exceção será aceita em apenas duas condições: cursos em regiões mais remotas ou graduações em que há carência de doutores -caso de artes, por exemplo.

%d blogueiros gostam disto: