Morre aos 87 anos o jornalista e escritor Tom Wolfe

El PTom Wolfeaís – O escritor e jornalista Tom Wolfe, autor de a Fogueira das Vaidades (1987), morreu aos 87 anos, segundo informaram nesta terça-feira diversos veículos de comunicação norte-americanos. O autor era considerado um dos pais do New Journalism (Novo Jornalismo ou jornalismo literário), corrente jornalística que usava elementos da literatura para narrar fatos reais, com técnicas narrativas próprias da ficção, mas sempre respeitando o rigor dos fatos, que teve como expoentes nomes como Gay Tales, Norman Mailer e Truman Capote.

Segundo o jornal The New York Times, Tom Wolfe estava internado em um hospital de Manhattan, em Nova York, e morreu na segunda-feira, 14 de maio. Além da ficção Fogueira das Vaidades, romance que vendeu nos EUA mais de dois milhões de exemplares e foi transformado em filme pelo cineasta Brian De Palma, o autor escreveu dezenas de livros de ficção e não-ficção. Seu último romance, Sangue nas Veias (editora Rocco), foi lançado em outubro de 2012.

Anúncios

Caso ex-reitor da UFSC se esbarra nas provas

Folha – Apesar das acusações de que estaria no comando de uma suposta quadrilha, o relatório da PF não apresenta provas de que o ex-reitor teria se beneficiado financeiramente por essa participação. A Folha questionou a Polícia Federal sobre a ausência de provas contra Cancellier, mas obteve como resposta apenas que a investigação está finalizada.

A reportagem também indagou a corporação sobre o fato de Cancellier ser o único reitor citado no relatório, sendo que os casos relatados se passam desde 2008.

Na resposta, a Polícia Federal se limitou a dizer que a investigação foi finalizada pela corporação e que essa agora está agora sob a análise do Ministério Público Federal.

Estudantes ocupam prédios da UFSCar em protesto contra aumento de preço das refeições do Restaurante Universitário

Estadão – Em protesto contra um reajuste de 120% no valor das refeições, estudantes ocuparam nesta terça-feira, 8, dois prédios com salas de aulas e o refeitório da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), câmpus de Sorocaba, interior de São Paulo. Nesta segunda-feira, 7, o valor cobrado dos alunos pela refeição passou de R$ 1,80 para R$ 4. De acordo com a estudante Ana Carolina Bertolucci, representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE), o aumento foi decidido sem qualquer discussão com os alunos, gerando um clima de insatisfação.

Site da Universidade Federal de Mato Grosso é atacado por hackers

https://i2.wp.com/www.midianews.com.br//storage/webdisco/2018/05/05/438x291/a9e5f829dd4f5e4c00435679695f3de9.jpgMidiaNews – O site da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) foi invadido por um grupo de hackers na manhã deste sábado (5). O grupo, identificado como Ghost Defacers, tomou o controle o site por volta das 11h30 e derrubou o endereço eletrônico cerca de 15 minutos depois.

Os invasores ainda deixaram uma mensagem tendo ao fundo uma imagem do personagem “V” da série de histórias em quadrinhos “V de Vingança”, que inspirou o filme de mesmo nome e é muito utilizada por hackers anarquistas.

“Corrupção há em todo lugar, mas no Brasil a corrupção virou cultura política (…) Chegamos em um momento crucial na política brasileira, ou colocamos esses canalhas na cadeia, ou vamos ficar nessa corrupção que nunca tem seu fim”, diz um trecho da manifestação.

Reitoria da UFMT obtém mandato de reintegração de posse contra estudantes acampados no Campus de Cuiabá

Semana7 – A direção da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) conseguiu nesta sexta (04) um mandado de reintegração de posse no campus de Cuiabá, que está ocupado por alunos. Eles reivindicam a manutenção do preço da refeição no restaurante universitário a R$ 1. A reitoria porém já informou que vai aumentar.

Nota da UFMT diz que a decisão do juiz federal Raphael Casella de Almeida Carvalho aponta risco ao patrimônio público inclusive comprovado pela Procuradoria Federal junto à UFMT, por fotos e documentos anexados ao processo, que confirmam ocupação irregular do prédio.

O magistrado também aponta para o dano social, já que aulas estão suspensas. “Haja vista que o direito à educação (professores e alunos), ao trabalho (servidores da IES- Instituição de Ensino Superior), ao lazer (população em geral) também está sendo obstaculizado”.

Intercom Centro-oeste adia prazos de submissão de trabalhos

A Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação) realiza este ano, de 15 a 17 de junho de 2018, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, em Campo Grande, o seu XX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Centro-Oeste.

Desde início do anuncio do evento, o próprio local de realização das atividades científicas foi alterado. Antes em Dourados (MS) passou a ser na capital de Mato Grosso do Sul (Campo Grande). A data de submissão de trabalhos que se encerrava nesta quarta-feira (2), passou para a próxima segunda-feira (7).

Em tempos de redução de verbas nas universidades públicas e aperto no bolso dos estudantes e pesquisadores, a realização de eventos se mostra cada vez mais uma atividade que exige muito planejamento e busca de ajuda de custos na própria sociedade.

No caso da Intercom, já tradicional no Brasil, com a alteração da data, permite que estudantes que ainda estejam em fase de conclusão dos trabalhos, promova sua finalização com mais vagar e qualidade.

UFMT adia mudança da política de alimentação, depois de paralisação dos estudantes

Mídia Ninja – Devido aos recentes cortes nos repasses do governo para as universidades federais, muitas instituições estão buscando cortar custos. Na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Cuiabá, a proposta da atual reitora Myrian Serra era aumentar os valores pagos pelos alunos no Restaurante Universitário (RU). O movimento estudantil se organizou em protestos que duraram toda a última semana de abril e acabam de conquistar uma primeira vitória: o reajuste programado para maio está adiado. Mas a luta deve continuar até a revogação total da proposta.

A reitoria afirma que o objetivo da mudança é reduzir os gastos com a alimentação, que no ano passado chegou a R$ 15 milhões, sendo R$ 3 milhões acima das despesas. Atualmente os alunos pagam R$ 0,25 pelo café da manhã e R$ 1,00 para almoço e janta. Com a aprovação da nova política os valores passariam a ser R$ 2,50 pelo café da manhã e R$ 5,00 para almoço e janta. A reitoria alega também que os alunos que não possuem renda suficiente (1,5 salário mínimo) e que atualmente são auxiliados pela Pró-reitoria de assistência estudantil (PRAE), deixarão de receber essa renda, tornando-se isentos de qualquer custo no Restaurante Universitário. Entretanto, os alunos assistidos alegam que o valor recebido da PRAE não só custeia o valor do RU, como também custeia suas refeições dias de domingo e feriados, quando o Restaurante Universitário não funciona.

Estudantes mantêm UFMT sem aulas diante de impasse com reitoria sobre política de alimentação

Agência Focaia – Na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Araguaia, foi realizado ontem (27), assembleia geral extraordinária convocada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), onde a pauta principal foi a continuidade da ocupação no campus, que teve início na sexta-feira (20). A mobilização começou a partir de notificação da reitoria sobre a implantação de nova política nos preços do restaurante universitário. O valor das refeições passaria de R$1 para R$5, e o café da manhã aumentaria para R$2,50, o que hoje custa R$0,25.

Estiveram presentes no Cinema I da UFMT, unidade de Barra do Garças, aproximadamente 190 alunos, além do Pró-reitor do Campus, Paulo Jorge da Silva, da Diretora do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS), Lennie Bertoque, professores e técnicos da universidade. A assembleia teve início às 19h30, com a exposição do DCE sobre a atual situação na ocupação e informando a conjuntura com os demais Campi. 

Recepção é a temática do 5º Colóquio Semiótica das Mídias, em Alagoas

Como parte da programação do Pentálogo VII – A Circulação Discursiva: entre Produção e Reconhecimento –, a ser realizado entre 19 e 23 de setembro – leia AQUI a Proposta Temática), em Japaratinga, Alagoas, nas instalações do Hotel Albacora, o CISECO realizará o V Colóquio Semiótica das Mídias, no dia 21 de setembro.

O evento visa a proporcionar o relato de trabalhos que contenham resultados de pesquisas, finalizadas ou em andamento, afins ao tema do Pentálogo VII, bem como outras reflexões que envolvam questões e ângulos de estudos do âmbito da semiótica e da comunicação. Podem participar professores e/ou pesquisadores profissionais, especialistas, estudantes de graduação e pós-graduação.

O Colóquio será realizado em dois turnos (nas dependências da Escola Municipal Marechal Arthur da Costa e Silva e da Escola Estadual Dom Eliseo, que ficam próximas ao Hotel Albacora), através da atividade de grupos de discussão a serem organizados de acordo com as temáticas dos trabalhos inscritos.

Leia mais

Em Goiânia, abertura da Compós tem “Fora Temer”

nodebate – O principal evento de pesquisa em comunicação do Brasil iniciou nesta terça-feira (7), Em Goiânia, no Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG). No no Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Freua Bufáiçal participaram da mesa de abertura, entre às autoridades presentes, a profa. da Universidade de S. Paulo (USP), Maria Immaculata Vassallo Lopes e o pesquisador mexicano Guillermo Orozco.

Nas primeiras palavras do 25º Encontro da Compós, o Reitor da UFG, Orlando Afonso Valle do Amaral, ressaltou a importância da reflexão sobre a comunicação, especialmente do jornalismo, no momento de crise política, com “atuação marcante” das redações no Brasil. Complementou da importância do Governo de Lula e Depois Dilma Rousseff, ambos do PT, para a melhoria da estrutura das universidades brasileira. Agora os tempos serão de dúvidas, com o novo governo, afirmou.

O presidente da Campós, Edson Fernando Dalmonte, no seu discurso de abertura, arrancou aplausos ao salientar que o momento é de “fora temer”. A política convive com profunda crise, que atinge a democracia brasileira, exigindo atenção da sociedade. Embora, as palmas não tenham saído de todos os pesquisadores presentes, porém, numa observação rápido se mostrou consensual para a maioria.

Após o coquetel servido aos participantes do evento na abertura, as atividades recomeçam nesta quarta-feira(8), cuja programação consta encontros em Grupos de Trabalhos, pela manhã e à tarde, que se estendem até quinta-feira(9). No último dia, sexta-feira(10), serão feitas reuniões dos coordenadores de GTs, pela manhã e reunião do Conselho da Compós, na parte da tarde.

Evolução da audiência latino-americana

O pesquisador em Comunicação na América Latina, Guillermo Orozco, do México, que trabalha na linha de pesquisa em estudos da recepção, alfabetização em audiovisual e reflexões na área de metodologia, destacou na sua palestra de abertura da Compós a transformação por que passa a audiência dos meios de comunicação, com destaque para a televisão.

Conforme observou vive-se no mundo nos tempos da comunicação, sendo o conhecimento advém, em grande parte das mídias, as quais ganham importância na formação do pensamento social. No entanto, isso não quer dizer que a audiência seja homogênea na recepção dos programas televisuais. Um engano entender que todos os receptores/consumidores de mídias entendem o que se passa nos programas do mesmo modo.

Talvez a forma correta, analisa o palestrante, seria compreender que há uma grande audiência, mas que existem diferenças na concepção de cada pessoa. Assim, é preciso entender a audiência de maneira individual, para não cair no erro da formação de pensamento de consenso universal – desta forma inconsciente e massificada.

A rigor, Orozco fez questão de afirmar que a recepção não é algo que surgiu nestes tempos das mídias tecnológicas, mas o público sempre existiu na sociedade – sobretudo nas transformações para a  modernidade.

No passado, sua atuação ocorria em face dos acontecimentos, dos quais participavam diretamente. Na atualidade, diz o pesquisador da comunicação latino-americana, há a interferência das mediações, que gera a construção de realidade pelos produtores de mídias, que passa pela troca entre realidade e ficção. Contudo, a sociedade continua participando do processo de formação desta realidade, efetivamente.

A palestra do professor mexicano traz uma amarra com as abordagens da Intercom, ocorrida também na capital goiana, que destacou a importância dos meios para a formação do pensamento política da sociedade latino-americana e mundial. O autor que parece em alto em ambos os eventos é Marshall Mcluhan e seus seguidores, com a discussão sobre a interferência do meio na formação cultural, na era da tecnologia da informação.

No entanto, talvez falte aprofundar mais no tema, no sentido de analisar para qual realidade a sociedade, nesta relação com os meios, estão construindo para a pós-modernos? Certamente, um debate que será realizado ao longo da Compós, que contabilizou mais de 400 trabalhos inscrições para o 25º encontro em Goiânia.

***

Em discussão nos Grupos de Trabalho.

Publicações Compós

 

%d blogueiros gostam disto: