Doutor pela UnB recebe prêmio da SBPJor

Via Focaia

por Marina Carlos

https://nodebateacademico.files.wordpress.com/2013/11/b380f-adelmogenro.jpgA oitava edição do Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo (PAGF) escolheu como melhor tese de doutorado o trabalho História e ficção na narrativa de um escândalo midiático, de Eduardo Luiz Correia, doutor pela Faculdade de Comunicação (FAC). A cerimônia oficial de entrega ocorrerá no dia 7 de novembro durante o 11º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, na FAC.

A premiação foi criada pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) em 2004, com o objetivo de destacar pesquisadores que apresentam contribuições relevantes para o campo dos estudos de jornalismo.

Orientador da tese vitoriosa nesta edição, o professor Luiz Gonzaga Motta acredita que o diferencial da pesquisa de Correia foi mostrar as diferenças e semelhanças entre um conto e uma cobertura jornalística. Ele ainda afirma: “O prêmio é um reconhecimento da qualidade da linha de pesquisa Jornalismo e Sociedade. Embora o mérito seja todo do autor, me sinto gratificado como orientador”.

Para o vencedor, foi fundamental ser acompanhado por Motta. “O professor me ajudou muito no desenrolar das descobertas e nas correções de rumo”, conta Correia. A tese premiada foi defendida em maio de 2012 e tem como objeto de estudo a cobertura de imprensa do assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, ocorrido em janeiro de 2002.

O método de pesquisa utilizado por Eduardo Correia foi aplicar a teoria literária no jornalismo. O Programa de Pós-graduação em Comunicação da UnB é um dos pioneiros nesse tipo de estudo – nos últimos vinte anos, pelo menos cinco teses com o mesmo enfoque foram concluídas e seis pesquisas estão em andamento.

Luiz Motta afirma que a disputa no campo acadêmico é acirrada e diz estar satisfeito com essa conquista. Correia, por sua vez, acrescenta que deixou o emprego para se dedicar à pesquisa e se sente honrado com a premiação. “Concluir um doutorado sempre é um processo complicado para o doutorando e, sendo premiado dessa maneira, posso dizer que todo o esforço valeu muito a pena”, comenta.

O pesquisador concluiu a dissertação de mestrado em 2004 na Escola de Comunicações e Artes (ECA), da Universidade de São Paulo (USP). Na UnB, foi indicado ao prêmio Capes de Tese 2013. Eduardo faz planos para novos desafios no ano que vem, quando pretende continuar dando aulas em São Paulo. “Também penso em seguir minha pesquisa com um pós-doutorado, mas ainda não decidi nem o objeto nem a instituição. Mas espero retomar a pesquisa acadêmica o mais breve possível”, diz.

https://nodebateacademico.files.wordpress.com/2013/11/ef069-sbpjor.jpg

Novo número da Revista Rumores é publicado

%d blogueiros gostam disto: