Mídia, política e meio ambiente

Com o apoio de políticos e imprensa as advertências de pesquisadores nunca são levadas a sério. A comunicação sem dúvida tem importância neste debate, mas é a mais ausente nos momentos de tensão entre natureza e lucratividade

Cidadania – As dúvidas sobre meio ambiente é constante na sociedade moderna, em virtude, da falta de interesse na sua preservação, se isto se relaciona com a perda de lucratividade de setores financeiros. A sustentabilidade tanto apregoada seria uma forma de buscar alternativa, muitas vezes, para esfriar os ânimos de pessoas exaltadas, sempre indicadas como de esquerda, subversivos. Comum nas grandes cidades a liberação de terrenos próximos a rios e lagos, de maneira que causa, em curto prazo, graves danos a natureza.

Com o apoio de políticos e imprensa as advertências de pesquisadores nunca são levadas a sério. A comunicação sem dúvida tem importância neste debate, mas é a mais ausente nos momentos de tensão entre natureza e lucratividade.

Cidades como Goiânia – e tantas outras -, com grande extensão de cerrado que deveria preservar sua rica biodiversidade não “investe” muita informação sobre o tema. Depois, no que concerne ao espaço urbano, a relação entre empreendimentos com gastos “consideráveis” em publicidade inviabiliza argumentos críticos sobre o desrespeito com o meio ambiente.

As implicações também são políticas, pois, por se tratar de grandes empresas do setor imobiliário capaz de vultosos investimentos em mídia e apoio às candidaturas eleitorais. Então, ceifada é a biodiversidade, o cidadão, no final.

Nesta relação entre opinião pública crítica, contestadora, interesses imobiliários e mídia, indiferente ao movimento ambiental, desencadeou no Distrito Federal/Brasília um campo de guerra. A região noroeste da cidade, a qual cresce descontroladamente, com população de alto poder aquisitivo, levou empresários e políticos a investir em uma difícil negociação com grupos indígenas na região. O embate com denúncias por parte de grupos de defesa do meio ambiente virou documentário que vale a atenção.

Os fatos narrados dizem respeito ao tempos de governo de José Roberto Arruda, na época um dos líderes dos Democratas, que se viu em meio ao escândalo do DEM – com envolvimento em propinas mostrado pela mídia nacional -, que culminou com sua saída do Governo do Distrito Federal. Apesar dos enfrentamentos, muitos deles radicalizados de ambas as partes, os apartamentos estão sendo negociados na região, distantes dos sonhos dos valores de grande parte dos brasilienses.

Em ano eleitoral, certamente seja oportuno à discussão de temas como este, no sentido de contribuir para a preservação do meio ambiente e da cidadania.

%d blogueiros gostam disto: